Últimos Conteúdos

attributed to Mark Twain

For example, in Year 1 that useless letter "c" would be dropped to be replased either by "k" or "s", and likewise "x" would no longer be part of the alphabet. The only kase in which "c" would be retained would be the "ch" formation, which will be dealt with later.

Year 2 might reform "w" spelling, so that "which" and "one" would take the same konsonant, wile Year 3 might well abolish "y" replasing it with "i" and Iear 4 might fiks the "g/j" anomali wonse and for all.


Jenerally, then, the improvement would kontinue iear bai iear with Iear 5 doing awai with useless double konsonants, and Iears 6-12 or so modifaiing vowlz and the rimeining voist and unvoist konsonants.


Bai Iear 15 or sou, it wud fainali bi posibl tu meik ius ov thi ridandant letez "c", "y" and "x" -- bai now jast a memori in the maindz ov ould doderez -- tu riplais "ch", "sh", and "th" rispektivli.


Fainali, xen, aafte sam 20 iers ov orxogrefkl riform, wi wud hev a lojikl, kohirnt speling in ius xrewawt xe Ingliy-spiking werld.

Hoje, tentei pagar um boleto através do aplicativo do Itaú. Depois de digitar os números do boleto, logo após colocar a senha, aparecia a mensagem "erro na validação de campos".

Depois de revisar os números, revisar a senha, abrir e fechar o aplicativo, lembrei que entramos no horário de verão há alguns dias.

Desde que começou o horário de verão, precisei acertar manualmente a hora do celular, pois estava aparecendo o horário antigo. Daí configurei o celular pra usar a atualização automática, e não é que o negócio funcionou?

Provavelmente é algum erro de certificado, ou algo assim.

<table cellpadding="0"  cellspacing="2" width="100%">
<tr height="5"><td></td></tr>
<tr>
<td width="70%" class="fontecinza"><font color="red" size="1">*</font>Login (e-mail):</td>
<td width="40%" class="fontecinza"><font color="red" size="1">*</font>Senha:</td>
</tr>
</table>

(1) An object in motion will always be headed in the wrong direction.
(2) An object at rest will always be in the wrong place.
(3) The energy required to change either one of these states will always be more than you wish to expend, but never so much as to make the task totally impossible.

Primeiro, criamos uma variável:
 var alguem_mexeu_no_meu_queijo = false;  

No evento change de qualquer elemento, alteramos essa variável, para sabermos que o usuário mexeu no formulário:
 $('select, input, textarea').change(function(){  
      alguem_mexeu_no_meu_queijo = true;  
 });  

Depois, no evento beforeunload da janela, precisamos ver se a variável foi alterada. 
Se sim, damos o alerta, perguntando se ele quer mesmo sair.
 window.onbeforeunload = function(){  
      if(alguem_mexeu_no_meu_queijo==true)  
      {  
           return 'Alguém mexeu no meu queijo.';  
      }  
 }  


Ah, quando o usuário envia o formulário, precisamos setar a variável como true, para que não apareça o alerta.
Se tu tiver usando o jquery validation, fica assim:
 $('#form').validate({  
     submitHandler: function(form) {  
                alguem_mexeu_no_meu_queijo = false; form.submit(); 
}
});
 

O programador sábio ouve falar sobre o Tao e o segue. O programador médio ouve falar sobre o Tao e procura por ele. O programador tolo ouve falar sobre o Tao e dá risada.

Se não fosse para dar risada, não haveria o Tao.

Os sons mais altos são os mais difíceis de ouvir. Avançar é um jeito de retroceder. Grandes talentos vêm tardiamente na vida. Mesmo um programa perfeito ainda tem falhas.

No início havia o Tao. O Tao originou o Espaço e o Tempo.

Portanto o Espaço e o Tempo são o Yin e Yang da programação.

Programadores que não compreendem o Tao estão sempre sem tempo e sem espaço para seus programas. Programadores que compreendem o Tao sempre tem tempo suficiente e espaço para completar seus objetivos.

Como poderia ser diferente?

O Tao deu à luz à linguagem de máquina. A linguagem de máquina deu à luz ao assembler.

O assembler deu à luz ao compilador. Agora existem dez mil linguagens.

Cada linguagem tem seu propósito, ainda que humilde. Cada linguagem expressa o Yin e Yang do software. Cada linguagem tem seu lugar no Tao.

Mas não programe em COBOL se puder evitar.

Algo misterioso é formado, nascido do vazio silencioso. Aguardando na solidão e imóvel, ele está ao mesmo tempo parado ainda que em movimento constante. Ele é a fonte de todos os programas. Eu não sei o seu nome, então chamarei de Tao da Programação.

Se o Tao é grandioso, então o sistema operacional é grandioso.
Se o sistema operacional é grandioso, então o compilador é grandioso.
Se o compilador é grandioso, então a aplicação é grandiosa.
O usuário está satisfeito, e há harmonia no mundo.

O Tao da programação flui na distância e retorna no vento da manhã.

 

Primeiro, precisamos do comando sql que será executado.

Execute o comando no seu programa preferido (Workbench, direto na linha de comando, etc) e finalize o programa.

Execute o comando abaixo para ver o status do comando (oi?)

mysql -v -h ipdobanco -u login -psenha nomedabase -e "show processlist;"

O retorno será de pelo menos 2 linhas, uma detalhando o próprio comando SHOW PROCESSLIST, e outra com o comando que foi executado antes:

--------------
show processlist
--------------

+----------+--------+-----------------------+--------+---------+------+----------+------------------------------------------+-----------+---------------+
| Id | User | Host | db | Command | Time | State | Info | Rows_sent | Rows_examined |
+----------+--------+-----------------------+--------+---------+------+----------+------------------------------------------+-----------+---------------+
| 19241044 | login | 127.0.0.1:39922 | nomedabase | Query | 529 | updating | delete from tabela | 0 | 416450 |
| 19258640 |login |127.0.0.1:54285 |nomedabase | Query | 0 | init | show processlist | 0 | 0 |
+----------+--------+-----------------------+--------+---------+------+----------+------------------------------------------+-----------+---------------+

Agora, precisamos executar esse comando de tempos em tempos, para verificarmos quando finalizou.

while sleep 60; do COMANDO; done

O exemplo acima fica assim:

while sleep 60; do mysql -v -h ipdobanco -u login -psenha nomedabase -e "show processlist;"; done

O 60 significa que o comando será executado a cada 60 segundos. Basta alterar pra executar numa frequência diferente.

"Absolutely nothing should be concluded from these figures except that
no conclusion can be drawn from them."
(By Joseph L. Brothers, Linux/PowerPC Project)

O Debian vem com uma versão do Firefox, que é muito desatualizada.

Para poder usar a versão mais recente, o jeito é instalar manualmente. É mais simples do que brigar com o apt-get.

Primeiro passo é remover a versão atual do firefox:

sudo apt remove firefox (ou sudo apt remove firefox-esr)

Depois, precisamos criar uma pasta dentro de /opt, para armazenar o firefox:

mkdir /opt/firefox

Fazer o download da versão atual:
wget -O FirefoxSetup.tar.bz2 "https://download.mozilla.org/?product=firefox-latest&os=linux64&lang=en-US"

Extrair o arquivo baixado na pasta que criamos:

tar xjf FirefoxSetup.tar.bz2 -C /opt/firefox/

Depois, criar o atalho no launcher:
Crie o arquivo /usr/share/applications/firefox.desktop, com o seguinte conteúdo:

[Desktop Entry]
Name=Firefox
GenericName=Firefox
Exec=/opt/firefox/firefox/firefox
Terminal=false
Icon=/opt/firefox/firefox/browser/icons/mozicon128.png
Type=Application
Categories=Application;Network;X-Developer;
Comment=Firefox Web Browser.

 

Como a instalação foi feita manualmente, a atualização também vai ter que ser manual. Pra isso, criei um pequeno script .sh, que pode ser utilizado pra isso.

Salve o conteúdo abaixo em um arquivo com a extensão .sh, depois dê permissão de execução nele (chmod +x):

sudo rm -Rf /opt/firefox/
wget -O FirefoxSetup.tar.bz2 "https://download.mozilla.org/?product=firefox-latest&os=linux64&lang=en-US"
sudo mkdir /opt/firefox
sudo tar xjf FirefoxSetup.tar.bz2 -C /opt/firefox/

E é isso.

Fonte: https://linuxconfig.org/how-to-install-latest-firefox-browser-on-debian-9-stretch-linux

Às vezes aparecem uns arquivos chamados ?.pub, ou apenas ? na pasta home.

Na verdade, esse não é o nome dos arquivos. O que acontece é que o nome deles é formado por caracteres unicode que não podem ser exibidos no console.

O jeito é descobrir o inode dos arquivos, e excluir através dele.

Listando o inode dos arquivos:
ls -il


Excluindo através do inode:

find . -inum 15681478197 -exec rm -i {} \;

Fonte: https://unix.stackexchange.com/a/230030

Listando:

ls -l

Ordenando pela data:

ls -l --sort=time

Ordenando inversamente:

ls -l --sort=time -r

Exibindo data e hora completos do arquivo:

ls -l --time-style=full-iso

Contando quantos arquivos tem na pasta:

ls | wc -l

Alterando data de modificação de arquivos:

touch -d "2 hours ago" filename

Fontes: https://unix.stackexchange.com/questions/1125/how-can-i-get-a-count-of-files-in-a-directory-using-the-command-line

https://askubuntu.com/questions/62492/how-can-i-change-the-date-modified-created-of-a-file

Adoro quando as pessoas me deixam fazer as coisas.

Tipo "pode fazer tal alteração", "pode fazer uns ajustes" ou "pode me ajudar".

Porque a pontuação tem um objetivo. Ela serve para organizar as frases em partes menores, que ficam mais fáceis de serem entendidas.

Não que seja impossível de entender uma frase escrita sem pontos ou vírgulas, mas é que o esforço para se pontuar é muito menor do que o esforço de ler e interpretar uma frase desse jeito:

"o caso do cliente X está ok ele está cobrando qual o login do email outra coisa qual a senha do cliente Y".

É preciso ler pelo menos umas 3 vezes, até que se entenda que são 3 assuntos separados.

 

Outra coisa são os pontos de interrogação. Eles servem para que se diferencie uma afirmação de uma pergunta:

- ola o sistema esta fucnionando hoje

- Bom dia, obrigado por avisar!